Dispositivos Móveis São o Maior Mercado Para Visão Computacional

Dispositivos Móveis São o Maior Mercado Para Visão Computacional

Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina estão cada vez mais se tornando parte da vida cotidiana e impactando ainda mais como usamos nossos dispositivos. Estamos entrando em uma era em que os dispositivos podem ver, em vez de simplesmente responder ao toque. Lançamentos recentes de smartphones da Apple (iPhone X), Huawei (Mate 10 Pro) e Google (Pixel 2 e Google Clips) estão começando a mudar o foco do que vemos e fazemos com nossos dispositivos, para o que os dispositivos veem e fazem por nós. E por conta disso, Dispositivos Móveis São o Maior Mercado Para Visão Computacional.

Parte desse crescimento tecnológico vem da necessidade de dispositivos e aplicativos se tornarem mais conscientes do ambiente do usuário, o que gera a necessidade de sistemas de visão para capturar essas informações e processá-las para fins de inferência.

Os aplicativos de visão computacional são bastante abrangentes, variando de catalogação/classificação de imagens a proteção do telefone de um indivíduo por meio do reconhecimento facial até a detecção de objetos/pessoas em público.

Empresas como Apple, Google, Microsoft, Intel, Qualcomm, Huawei, NVIDIA, etc. começaram a implementar essa tecnologia em dispositivos de nível corporativo e de consumo – com o tempo, essa tecnologia chegará a uma gama ainda mais ampla de dispositivos e níveis de preços.

Os principais recursos, como segurança (por exemplo, Apple Face ID), redes sociais (animojis da Apple) e conteúdo (Google Clips), são exemplos iniciais dessa confluência de Visão Computacional, Inteligência Artificial e Machine Learning.

Esses dispositivos também destacam uma tendência em que tanto a visão computadorizada quanto a inteligência artificial estão migrando para o dispositivo final, em vez de depender da nuvem, gerando oportunidades de mercado adicionais para os fornecedores de chips, que oferecem ao mercado chips e GPUs mais robustos e soluções como aceleradores e VPUs (Vision Processing Units, uma classe de processador destinada a acelerar as tarefas de visão computacional).

Michael Inouye, principal analista da ABI Research, disse que a combinação de IA, Aprendizado de Máquina e Visão Computacional ajudará as pessoas a usar e interagir com seus dispositivos de maneiras novas e mais profundas:

“Vamos passar de conexões um-para-um entre dispositivos e a Web e serviços remotos, para um ecossistema de componentes cada vez mais conectados que trabalham juntos”, disse ele.

A ABI Research prevê que até 2022, mais de 650 milhões de dispositivos móveis suportarão aplicativos de visão mais avançados nos dispositivos móveis:

“Nossos telefones passarão do retoque de nossas fotos na nuvem para o uso de visão computacional para reconhecer quando estamos chateados e, talvez, começar a tocar alguma música para aliviar nossas mentes preocupadas”, disse ele.

Enquanto alguns dos mercados que suportam visão embutida como VR (Virtual Reality) e AR (Augmented Reality) podem parecer novos, eles são de fato muito mais antigos do que os recentes lançamentos de produtos – eles estão simplesmente se espalhando porque a tecnologia atingiu um nível crítico onde ficção científica e imaginação estão começando a se tornar realidade.

Os dispositivos móveis continuarão sendo a maior “oportunidade de mercado” em volume de dispositivos para visão computacional. Aplicativos de AR/VR alavancarão ou dependerão de smartphones. A visão computacional será de certa forma limitada pelo que a câmera pode ver.

“O Google Clips oferece uma nova visão sobre as câmeras que tentam procurar e capturar ótimos momentos automaticamente. Uma câmera frontal de 180 graus pode ter uma inteligência imensamente mais útil em comparação com aproximadamente 100 graus de muitos dispositivos atualmente ”, disse ele.

Mercados mais emergentes como AR e VR já contam com tecnologia de visão computacional, mas esses mercados vão se beneficiar muito à medida que mais desenvolvedores criarem novos aplicativos e expandirem as formas existentes de usar dispositivos e, claro, usuários assimilarem essas aplicações em suas vidas diárias.

David Matos

Referências:

O Que é Visão Computacional?

Visão Computacional e Reconhecimento de Imagens

Mobile devices remain largest market for computer vision

8 cool new ways computer vision is changing everything

Baidu puts open source deep learning into smartphones

Google Clips

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *