A Transformação do Aprendizado – Social, Informal, Self-Service e Prazeroso

A Transformação do Aprendizado - Social, Informal, Self-Service e Prazeroso

A tecnologia vem sendo usada há muito tempo para melhorar a forma como aprendemos, mas os avanços digitais de hoje, em particular com as mídias sociais, levaram o aprendizado para novas direções inteiramente inesperadas. A Transformação do Aprendizado – Social, Informal, Self-Service e Prazeroso, já é uma realidade que tende a aumentar nos próximos anos com a chegada de uma geração que nasceu em um mundo digital.

O mundo digital transformou fundamentalmente a forma como encontramos conhecimentos e compartilhamos informações uns com os outros e também mudou a paisagem da aprendizagem: atualmente as pessoas estão muito mais dispostas a aprender algo pelo celular, do que buscar um livro ou mesmo visitar uma biblioteca. Como qualquer coisa na vida, isso tem vantagens e desvantagens, mas o fato é que a transformação está ocorrendo.

Esse fenômeno vem sendo chamado de “digitalização da aprendizagem” ou apenas a realização da promessa da internet e tornou-se bastante claro que os repositórios online de conhecimentos gratuitos como o YouTube e a Wikipedia, bem como dezenas de plataformas de aprendizagem digitais abertas e de alta qualidade, como Coursera, Open Culture ou a Khan Academy tornaram-se líderes de novos instrumentos para a aprendizagem global.

Também não é por acaso que cada um desses exemplos esteja enraizado na colaboração em massa e/ou comunidade online. De fato, o aumento e o crescimento contínuo, de cursos online massivamente abertos (MOOCs) nos últimos anos talvez seja o presságio de uma grande mudança na aprendizagem tradicional. Mesmo muitas instituições de aprendizagem formal aceitaram o inevitável e começaram a assumir as ferramentas digitais extremamente fáceis de usar, juntamente com uma mentalidade de democratização que começou a transformar o mundo da educação.

No mundo tradicional da educação a aprendizagem passiva foi e ainda é a norma, consistindo principalmente em sentar-se em uma sala e depois consumir conteúdo pré-embalado em massa que é apresentado formalmente por um educador para vários estudantes ao mesmo tempo, que se reúnem fisicamente no mesmo local e horário, não importando se aquele local e horário são os ideais para o aprendizado e rendimento individual de cada um.

Este contraste é nítido com a era digital, onde o conhecimento é generalizado, pesquisável instantaneamente, consumível sob demanda e mantido atualizado continuamente por milhões de contribuintes globais diários. Isso permite aprender – vou deixar que o leitor decida, se isso é pior ou melhor – de forma muito mais situacional, sob demanda, autodirigido, infinitamente personalizado, até mesmo de graça, dependendo da experiência do usuário, o que leva a um conhecimento mais profundo e rápido, além de maior envolvimento dos alunos. A experiência de aprendizagem se torna self-service e muito mais prazerosa.

Além disso, o aumento da tecnologia de redes sociais permitiu que pessoas com interesses de aprendizagem semelhantes se juntassem como um grupo para compartilhar conhecimento sobre um assunto – e talvez ainda mais significativamente – para expressar sua paixão por uma área de aprendizagem. Isso pode criar experiências educacionais mais profundas, mais intensas e mais imersivas dentro de uma comunidade de aprendizes de mentalidade semelhante.

Todas essas tendências na aprendizagem digital tiveram um impacto dramático em um segmento importante da indústria de software utilizado para o aprendizado e o desenvolvimento corporativo, os Learning Management Systems (LMS) ou Sistemas de Gerenciamento de Aprendizagem, que levaram as empresas a apostar na capacitação online de seus funcionários de forma customizada e através de colaboração.

A Transformação do Aprendizado

 

A Aprendizagem Baseada em Comunidade

Dada a necessidade de uma aprendizagem contínua na economia digital em rápida evolução, o setor de LMS, por todas as estimativas, continuará a crescer, o que demonstra claramente como os gestores já compreenderam a necessidade de capacitação online e personalizada para os funcionários da empresa. De fato, essas novas formas de aprendizagem estão levando a uma terceira onda de ferramentas de gerenciamento de aprendizagem (as primeiras duas ondas são o surgimento de sistemas LMS tradicionais e, em seguida, a padronização deles).

Esta terceira onda de aprendizagem digital, por falta de um consenso geral sobre um termo, poderia ser chamada de aprendizagem social. Ou seja, o uso de plataformas digitais para reunir comunidades de interesse dentro de uma organização – ou mesmo em qualquer lugar – para aprender sobre um assunto através da interação e insights uns dos outros, fazendo com que a troca de experiências seja um fator fundamental no aprendizado. Caso você esteja buscando uma Comunidade para debater temas relacionados a Big Data, Data Science e IA, confira a comunidade da Data Science Academy. Acesse o portal, efetue o login (faça o cadastro gratuito caso ainda não tenha uma conta) e clique em Comunidade. São milhares de profissionais do Brasil e do mundo debatendo diariamente temas ligados a essas áreas.

O conteúdo de aprendizagem resultante, criado por profissionais mais avançados e dedicado aos iniciantes, é uma experiência muito rica. O vídeo também se tornou um item de aprendizagem importante ao permitir o que é conhecido como “microlearning”, muitas vezes através de pequenos clipes que podem ser criados e compartilhados em comunidades de aprendizado, e depois discutidos. Consumir esses vídeos em dispositivos móveis sob demanda quando necessário é outra tendência notável.

Os números do aprendizado social são interessantes. Estudos iniciais mostraram que há um índice de retorno sobre investimento (ROI) de 75:1 para a abordagem em comparação com a educação tradicional. Como resultado de tais insights, 73% das organizações planejam aumentar seus investimentos em aprendizagem social. Confira os links de referência ao final do artigo.

Veja o que disse um conhecido especialista em educação online, Megan Torrance, fundador da TorranceLearning:

Eu vejo organizações fazendo um movimento para um ambiente de aprendizagem mais onipresente e ao mesmo tempo democratizado.

Contribuições de pares, especialistas internos, fontes externas e líderes complementam a instrução formal fornecida pelas equipes de aprendizagem e desenvolvimento, e o corpo de conhecimento da organização é constantemente atualizado. As ferramentas de busca universal formam objetos de aprendizagem de uma variedade de locais em um só lugar. Os dados de uso e classificação são armazenados centralmente – não segmentados em muitas ferramentas separadas – e o funcionário tem um registro abrangente de seus próprios conhecimentos e aprendizagens.

A função de aprendizagem neste novo ambiente fornece estrutura, currículos fundamentais e as ferramentas pelas quais a conversa da organização pode ocorrer. Quando a mudança, ou mesmo a crise, acontece, a organização já possui os caminhos sociais e de aprendizado para se agilizar, comunicar amplamente e reunir informações importantes para a tomada de decisões.

A partir disso, podemos ver claramente que o aprendizado está mudando para ser integrado muito mais no fluxo de trabalho e situado como uma capacidade dentro do local de trabalho digital moderno.

O aprendizado social é uma tendência vital na era da economia Gig para as organizações que desejam manter seu conhecimento institucional, ser globalmente competitivas e sustentáveis. Como vários dados mostram que até 80% da aprendizagem é informal, a aprendizagem social agora parece ser posicionada como um dos principais componentes do futuro da educação, seja corporativa ou individual.

O aprendizado está passando por uma profunda transformação. Pesquisas recentes mostram que 60% dos estudantes que começam um curso superior vão se dedicar a aprender profissões que deixarão de existir com a chegada da Inteligência Artificial. Não seria hora de repensar a educação e os requerimentos de contratação das empresas?

A transformação do aprendizado vai permitir uma aprendizagem Social, Informal, Self-Service e Prazerosa! E isso já está ocorrendo!

David Matos

Referências:

By The Numbers: MOOCS in 2016

MOOCs being embraced by top U.S. universities

Social Learning: The Future Is Here!

The Rise Of Informal Learning

Global Learning Management System Market will reach USD 19.05 Billion by 2022: Zion Market Research

4 learning and development trends for HR leaders to watch in 2017

The digital transformation of learning: Social, informal, self-service, and enjoyable

How Does Social Learning Measure Up?

How You Can Use Social Learning To Engage Your Learners

So long, app silos: And welcome to the digital workplace hub

60% dos jovens estão aprendendo profissões que vão deixar de existir

 

2 comments

  1. Parabéns pelo conteúdo!

    É sempre bom encontrar profissionais que compartilham conteúdo relevante e consistente pela internet.

    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *